PM CTI 2015

Homem, 50 anos, e levado por amigos a Emergência devido a volumosa hematêmese  e redução do nível de consciencia. Ao chegar, estava hipotenso, taquicárdico e quase nao reagia aos estímulos. Foi intubado e dois acessos venosos perifericos foram providenciados. Logo depois de ser intubado apresenteu nova episódio de hematêmese. Os médicos solicitaram exames laboratoriais, começaram ressuscitação volêmica com cristalóides e concentrados de hemácias. Foi realizada endoscopia digestiva que mostrou grossos  cordao  varicosos  no esôfago,  um deles com sinais de  sangramento recente. Realizada esclerose das varizes nesse primeiro exame.Laboratório: hemoglobina de 9 g/dl; leucócitos de 6.800/mm3; plaqueta 120.000/mm3; ureia de 88 mg/dl; creatinina de 1,0 mg/dl; sódio e potássio de 130 e 4,3 mEq/L, respectivamente; bilirrubina total e 2,0 mg/dl (com predomínio de bilirrubina direta), INR de 2,0; albumma de 3,0. USG mostrava ascite difusa em moderada quantidade, esplenomegalia  e fígado  de tamanho normal, ecotextura heterogênea e superfície irregular.  38-  0ptou-se pela transfusao de 1 concentrado de hemácias. Durante a transfusão, houve piora da saturação de oxigênio com necessidade de aumento da Fi02 para 100%. Secreção rósea e fluída começou a ser aspirada do TOT. A transfusao foi interrompida. Realizada uma radiografia de tórax que mostrava um infiltrado difuso. A PVC era de 6 mm Hg e o ecocardiograma realizado pelo intensivista nao mostrava disfunção cardíaca. 0 tratamento  a ser instituído agora é:

Tempo de prova

-- : -- : --

-- : -- : --